Geral

Apesar da importância, DF ainda conta com 26% dos médicos generalistas

Entre os problemas que a população enfrenta no serviço público de Saúde, a falta de médicos especialistas no atendimento é uma das causas do aumento no tempo de espera nas filas de hospitais e Unidades Básicas de Saúde no Distrito Federal. De acordo com dados da Secretaria de Saúde do DF, há um déficit de mais de 1,8 mil médicos especialistas na saúde pública.

Segundo a Demografia Médica de 2023 – parceria entre a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e a Associação Médica Brasileira -, o percentual de médicos generalistas em Brasília é de 26,6%. Isso significa que, de um total de 13.215 médicos registrados no Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF), 3.502 não possuem pós-graduação ou especialização.

Com tantos profissionais formando a cada ano, por que o número de médicos investindo na continuidade da formação não é maior? Um dos fatores é a falta de horário para frequentar os cursos, pois os plantões consomem bastante tempo. Além disso, não acompanhar quais áreas estão precisando de reforço e a oferta reduzida de residências em determinados setores contribuem para essa situação.

Para ajudar os profissionais a mudar esse cenário, a Afya Educação Médica oferece cursos pela modalidade lato sensu em mais de 70 especialidades médicas e multiprofissionais, podendo ser de longa ou curta duração, presencial ou híbrido.

E como o foco são médicos formados, ou seja, profissionais com o tempo bastante comprometido, “os horários são pensados para aqueles que já fazem plantão. Por isso, as aulas são distribuídas de maneira a permitir que o médico trabalhe enquanto se especializa”, explica o diretor da Afya Educação Médica DF, Alano Nogueira. Assim, é possível trabalhar, estudar e, aos poucos, ter o retorno financeiro dessa nova formação.

Entre os cursos de pós-graduação médica mais procurados no DF estão Dermatologia, Endocrinologia, Psiquiatria, Nutrologia, Medicina intensiva, Cardiologia, Cirurgia geral, Clínica médica, Geriatria e Ginecologia.

Com 15 unidades próprias, um corpo docente composto 85% por mestres e doutores e mais de 13 mil médicos formados, a Afya Educação Médica faz parte do maior hub de soluções educacionais e digitais para médicos do Brasil, a Afya, juntamente com outras empresas reconhecidas no meio médico como o Whitebook e o Iclinic.

Outra vantagem da Afya Educação Médica é que os cursos possuem mais de 500 h/aula, quase o dobro do mínimo exigido pelo Ministério da Educação.


0

Localizada na Asa Norte, a estrutura permite que os médicos treinem com pacientes reais, pois o espaço serve para atender gratuitamente pacientes indicados pelo SUS. A instituição possui uma média anual de 4.200 atendimentos que, por sua vez, reduzem as filas dos hospitais públicos.

Como uma das preocupações na Afya Educação Médica é justamente auxiliar o SUS para oferecer um melhor atendimento à população e maior conforto para os estudantes, ela investiu R$ 4 milhões na reforma de 23 consultórios médicos, equipados com alta tecnologia, além de salas de discussões de caso e de procedimentos dermatológicos minimamente invasivos, na própria unidade.

“Nós aumentamos em um terço o tamanho da estrutura durante a revitalização do espaço”, afirma Nogueira.

A unidade de Brasília ainda conta com a parceria de diversos hospitais e clínicas da capital federal, como o Hospital Estância Resiliência, Hospital Renascer e o Hospital do Exército.

Além dos consultórios reformados, a Afya Educação Médica conta com acomodações e coffee breaks premium e salas de aula teóricas e práticas com cadeiras ergonômicas para maior conforto dos alunos.

Fotografia colorida mostrando sala de aula de faculdade-Metrópoles
Salas de aulas da especialização médica da unidade do DF

Afya Educação Médica

SiteInstagram | Facebook | LinkedIn

source
Por Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *