Consórcio NE, ALPB e políticos reagem a fala do governador de Minas

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, rebateu, neste domingo (06), a fala do governador de Minas Gerais, Romeu Zema. O mineiro defendeu uma frente das regiões sul e sudeste contra o Nordeste.

A fala com tom separatista, segundo Galdino, reclamou da união dos governadores em torno do Consórcio Nordeste e a busca dos políticos da região em trazer investimentos que melhorem a vida dos nordestinos.

Enquanto nós defendemos mais dignidade para o nosso povo com políticas públicas, o governador Zema busca um caminho contrário à união que tanto precisamos neste momento. Precisamos de políticos que lutem por melhores condições de vida para a população e não que pregue este tipo de desunião e preconceito”, resumiu.

O presidente da ALPB ainda destacou o atual momento em que os políticos do Nordeste podem dialogar com o Governo Federal.

“Antes tínhamos um governo adverso, que não dialogava. Agora, temos um parceiro. E quando a gente acha que o momento é de cobrar uma dívida histórica com a região, temos de vivenciar uma declaração preconceituosa como essa. Mas não vamos ficar calados e iremos sempre rebater este tipo de agressão ao povo nordestino”, concluiu.

 Consórcio Nordeste

O Consórcio Nordeste, presidido pelo governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), publicou neste domingo (6), uma carta que repudia as falas do governador de Minas Gerais.

No texto, o grupo afirma que o Consórcio tem como objetivo fomentar o crescimento econômico da região, através da união de esforços para diminuir as desigualdades sociais.

Já passou da hora do Brasil enxergar o Nordeste como uma região capaz de ser parte ativa do  crescimento econômico do país e, assim, contribuir ativamente com a redução das desigualdades regionais, econômicas e sociais”, diz o documento.

Os governadores nordestinos também afirmam que não têm intenção de criar uma “guerra” com os estados das demais regiões brasileiras, mas sim de “compensar as desigualdades de oportunidades de desenvolvimento”.

Por fim, o Consórcio Nordeste reitera o apoio prestado a uma “união nacional” em prol do bem público e do desenvolvimento do Brasil como um todo, incentivando, inclusive, a união entre os próprios estados do Sul e Sudeste.

“A união dos estados do Sul e Sudeste num Consórcio interfederativo pode representar um avanço na consolidação de um novo arranjo federativo no país. Esse avanço, porém, só vai se dar na medida em que todos apostarmos num Brasil que combate suas desigualdades, respeita as diversidades, aposta na sustentabilidade e acredita no seu povo”, finaliza o documento.

Gervásio 

Um outro paraibano que não gostou nem um pouco da fala de Zema foi o deputado federal do PSB, Gervásio Maia. “Governador, o governador é maior que sua miopia e seu preconceito”, afirmou nas redes sociais.

Nas redes sociais, o jornalista Reinaldo Azevedo afirmou que o governador da Paraíba reagiu à “delinquência política de Romeu Zema, gov. de MG, q prega a união de Sul e Sudeste contra o Nordeste. Seria o modo de juntar a direita. Não é a 1ª vez q Zema diz algo do gênero. Há aí estratégia. Contra a Constituição”.

Governador do Estado do Piauí

Espírito Santo

A fala de Zema também foi criticada por um colega do Sudeste, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB).

Após repercussão

Após repercussão, Zema publicou nas redes sociais: ” A união do Sul e Sudeste jamais será pra diminuir outras regiões. Não é ser contra ninguém, e sim a favor de somar esforços. Diálogo e gestão são fundamentais pro país ter mais oportunidades. A distorção dos fatos provoca divisão, mas a força do Brasil tá no trabalho em união”.


source
Fonte: Jornal da Paraíba

Leia Também

Deixe seu Comentário