Frente a um embate entre o governo e a oposição, para a definição de cadeiras, a Comissão Parlamentar de Inquérito do Movimento dos Sem Terra (MST) encerrou a sessão desta terça-feira, 29, sem analisar os principais requerimentos.  

Com a tentativa da oposição de convocar o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o relator, Ricardo Salles (PL-SP), solicitou o encerramento da sessão. 

publicidade

A votação do requerimento teve 13 votos favoráveis e 13 contrários. O presidente da comissão, Tenente-Coronel Zucco (Republicanos-RS), considerou que o requerimento em questão não foi aprovado por não atingir a maioria. 

Leia também: “Entrada do Republicanos na Esplanada pode fazer presidente da CPI do MST sair do partido”

Mas cedo, esse mesmo critério de desempate atrapalhou o governo, em uma tentativa de retirada de pauta. 

O requerimento, que interessava à base governista, solicitava a retirada de pauta do pedido de convocação de Jaime Messias Silva, diretor-presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (ITERAL).

O que diz Salles acerca da sessão da CPI do MST

mcmag 29 09 2020 lei maus tratos0693
Deputado federal Ricardo Salles, ex-ministro do Meio Ambiente no governo Jair Bolsonaro | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Depois da derrota da oposição, Salles pediu o encerramento da sessão sem apreciar requerimentos importantes que estavam pautados. Entre eles, a quebra do sigilo bancário, fiscal, telefônico e telemático de João Pedro Stédile, um dos fundadores do MST

+ CPI deve votar quebra de sigilos de invasores de terras

A CPI do MST começou com a maioria dos parlamentares na oposição, mas, após uma manobra realizada pelo governo em conjunto com o Centrão, visando à negociação de nomeações para os ministérios, os governistas obtiveram uma vantagem na CPI.

source
R7

Ouça a Rádio Piranhas FMRádio Piranhas FM pelo RadiosNet. #OuvirRadio