Pelo menos 45% das habitações da Faixa de Gaza foram destruídas ou danificadas até 4 de novembro, e cerca de 200 mil pessoas já não têm onde morar, segundo relatório do Gabinete da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Coordenação dos Assuntos Humanitários.

Gaza é um dos locais mais densamente povoados do mundo, com mais de 500 pessoas por 100 metros quadrados em muitas áreas, segundo a Comissão Europeia.

Israel realizou vários ataques aéreos a cerca de 1 km da passagem de Rafah – a única forma de entrar e sair de Gaza que não é controlada pelos israelenses. A passagem, que é controlada pelo Egito, está praticamente fechada desde que o Hamas lançou seu ataque contra Israel em 7 de outubro.

O norte de Gaza não tem eletricidade nem combustível desde 11 de outubro. Um terço dos hospitais tiveram de fechar, e os que permanecem abertos funcionam muitas vezes com eletricidade limitada e sem anestesia ou água potável, afirmou o escritório humanitário da ONU.

Todas as padarias do norte tiveram que fechar, seja por danos ou por falta de combustível.

A única central elétrica de Gaza está sem combustível e a central de dessalinização de água do mar, no norte, também está desligada.

A água potável está acabando para centenas de milhares de civis.

A maioria das instalações de bombeamento de esgoto não está operando.

Funcionários da ONU relatam que 14 hospitais e 71% das instalações de cuidados primários em Gaza estão fechados.

VÍDEO: Imagens mostram bombardeios intensos na Faixa de Gaza

source
Fonte : CNN BRASIL