Geral

Fruto eleito o melhor do mundo ajuda contra o envelhecimento precoce

Existe um fruto de origem tupiniquim, mais especificamente da região do Norte, que é quase unanimidade em solo brasileiro: o açaí. O que nem todos sabem é que ele já esteve entre as melhores frutas do mundo, segundo pesquisa feita pelo site especializado em gastronomia TasteAtlas.

O título não é para menos, já que ele ostenta nutrientes nobres à saúde e que devem estar presentes diariamente na alimentação.

O fruto, inclusive, marcou mais de 102 mil pontos na tabela Capacidade Absorvente de Radicais de Oxigênio (ORAC), que avalia os melhores alimentos antioxidantes do mundo e é reconhecida internacionalmente.


0

 

Ou seja: o açaí é capaz de neutralizar os radicais livres, substâncias que, em excesso, causam prejuízos como envelhecimento precoce, doenças degenerativas (Alzheimer e Parkinson) e também anormalidades no controle da glicose e lipídios no sangue.

O açaí supera as expectativas pelo alto conteúdo de polifenóis, que contribui como vasoprotetor, antiaterogênico (protege contra as placas de ateroma, responsáveis pela aterosclerose), vasorrelaxante e anti-hipertensivo, sendo considerado, portanto, um bom amigo da saúde cardíaca.

Contém ainda fitoesteróis, um deles conhecido como β – Sitosterol, que cumpre vantagens no tratamento do câncer de próstata e no controle do colesterol.

E mais: ele ainda tem propriedades anti-inflamatórias, ajudando contra o alívio da dor e da inflamação.

Outro fator que faz o açaí se destacar é a presença da vitamina E, que, somada aos antioxidantes presentes, formam uma poderosa defesa contra o envelhecimento precoce.

Além disso, tem uma gordura saudável, conhecida como ômega 9, que mantém o sistema imunológico em equilíbrio e previne doenças. Por todos esses componentes presentes, ajuda a cicatrização a ocorrer de forma mais rápida e eficaz.

Para obter todas essas inúmeras vantagens, é preciso ingerir a fruta in natura, diferentemente das versões industrializadas, regadas de açúcares e xaropes.

O ideal é evitar xaropes adicionados e, ao misturar com outros ingredientes, priorizar itens saudáveis como frutas, aveia ou até whey.

(*) Thaiz Brito é nutricionista pós-graduanda em Nutrição Esportiva Clínica

source
Por Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *