júri popular

Genro é condenado a 18 anos de prisão pelo assassinato de funcionário da CBTU

Foi condenado a 18 anos de prisão, em regime inicialmente fechado, Derimar Cavalcante, genro de Gilson Antônio da Nóbrega, de 52 anos, funcionário da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que foi assassinado em fevereiro de 2022. A sentença foi lida pela juíza titular da Primeira Vara Mista da Comarca de Santa Rita, Lilian Frasinetti Correia Cananea, na noite desta terça (29) após decisão do júri popular.

As investigações da polícia mostraram Derimar como principal suspeito do assassinato. O crime ocorreu em 15 de fevereiro de 2022, na Rodovia Estadual PB-025, que liga à cidade de Lucena, no litoral norte da Paraíba. Após cinco meses de investigações, Derimar Cavalcante, genro da vítima, foi preso, no dia 13 de julho de 2022, em Minas Gerais.

“Foi um resultado bastante justo e proporcional ao caso. O crime realmente foi executado com requintes de crueldade. Foi por causa disso que houve um empenho na perseguição e no pedido de condenação. É inadmissível que uma vítima tenha sido executada da forma como foi, enforcada com arame farpado e tendo a cabeça praticamente esmigalhada ao mesmo tempo em que foi enforcada. Foram 18 anos de prisão”, avaliou o promotor de justiça, Onessimo Gomes da Silva Cruz,.

A polícia começou a suspeitar de Derimar após seu desaparecimento, logo após o corpo da vítima ser encontrado. O veículo dele foi achado abandonado. O veículo foi recolhido e encaminhado para perícia como parte das investigações. Após isso, as investigações avançaram e Derimar foi preso no estado de Minas Gerais.

MaisPB

source
Fonte : Mais PB

Ouça a Rádio Piranhas FMRádio Piranhas FM pelo RadiosNet. #OuvirRadio