“De repente, não é mais sobre você”, disse ela. “Não é sobre mais nada além da pequena vida que está dentro de você e que agora você é responsável por proteger.”

“E essa pequena vida é um bebê, um pequeno humano que é seu”, acrescentou ela, emocionada. “Que você precisa garantir que proteja, ame, cuide e todas as coisas que eu gostaria de ter tido quando era pequena.”

Blanchard passou sua infância e início da vida adulta acreditando que sofria de uma série de doenças médicas, incluindo leucemia, distrofia muscular e asma, quando na realidade era vítima da síndrome de Munchausen, uma síndrome rara na qual um cuidador finge ou exagera doenças em alguém para obter atenção ou simpatia.

A jovem se tornou objeto de fascinação pela mídia depois que sua mãe, Dee Dee Blanchard, foi encontrada morta a facadas em 2015 em sua casa perto de Springfield, Missouri.

Uma investigação descobriu não apenas o papel da mãe na infância da filha de doenças fingidas, mas também o fato de que Gypsy convenceu seu então namorado, Nicholas Godejohn, a matar sua mãe enquanto ela dormia como uma forma de escapar do abuso.

Gypsy Rose Blanchard se declarou culpada por homicídio doloso em segundo grau em 2016. Os promotores eventualmente a condenaram a 10 anos em um acordo judicial devido às circunstâncias únicas.

Ela foi libertada em dezembro de 2023 e disse à CNN logo depois: “Para mim, chegar à prisão foi uma chance de começar uma vida para mim mesma em termos de ganhar independência de todos”.

A atenção da mídia continuou desde sua libertação. Ela e Urker se conheceram e ficaram noivos enquanto ela estava na prisão, mas se separaram em 2022. Pouco depois da separação, Blanchard se casou com o professor de Louisiana, Ryan Anderson, em uma cerimônia de casamento na prisão em julho de 2022, antes de se separarem em março de 2024.

Ela e Urker então reacenderam seu romance. Blanchard disse que estão ansiosos para dar as boas-vindas ao bebê em janeiro.

*Com informações de Elizabeth Wagmeister e Harmeet Kaur, da CNN

Gypsy Rose mostra nas redes vida após prisão

source
Fonte : CNN BRASIL

Ouça a Rádio Piranhas FMRádio Piranhas FM pelo RadiosNet. #OuvirRadio