Mike Pence diz que “cumprirá a lei” se for chamado para testemunhar no julgamento de Trump

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

O ex-vice-presidente dos EUA Mike Pence disse que cumpriria a lei se fosse obrigado a testemunhar no julgamento do ex-presidente Donald Trump no caso das eleições de 2020.

“Não tenho planos de depor, mas, olha, vamos sempre cumprir a lei. Mas… não sei qual será o caminho dessa acusação”, disse ele a Dana Bash, da CNN, em uma entrevista que foi ao ar no domingo (6) no “State of the Union”.

“O presidente [Trump] tem direito à presunção de inocência. Ele tem o direito de fazer sua defesa no tribunal”, acrescentou. “Mas, na verdade, existem questões profundas em torno disso, relacionadas à Primeira Emenda, liberdade de expressão e o resto. Estou confiante de que ele e seu advogado irão litigar todas essas coisas.”

Veja também: Trump é acusado de interferir na eleição de 2020

data-youtube-width=”500px” data-youtube-height=”281px” data-youtube-ui=”internacional” data-youtube-play=”” data-youtube-mute=”0″ data-youtube-id=”6R3jmNqRLZ0″

Pence foi intimado pelo procurador especial Jack Smith em fevereiro para testemunhar perante o júri federal e, após algumas idas e vindas legais, ele testemunhou em abril.

Na quinta-feira, Trump se declarou inocente em um tribunal de Washington de quatro acusações criminais – incluindo conspiração contra os Estados Unidos – relacionadas à investigação liderada pelo procurador especial sobre tentativas de  a eleição presidencial de 2020.

O juiz federal que presidirá o caso pretende marcar a data do julgamento na próxima audiência, em 28 de agosto.

Pence também disse à CBS News, em uma entrevista que foi ao ar no domingo, que “nós responderemos ao chamado da lei se vier e apenas diremos a verdade”, caso ele seja solicitado a ser uma testemunha.

Em sua entrevista à CNN, Pence disse que Trump “estava errado na época e está errado agora” sobre a ideia de que ele, então vice-presidente e que também presidia a contagem dos votos do Colégio Eleitoral pelo Congresso, tinha o direito de rejeitar o resultado da eleição.

“O povo americano merece saber que o presidente Trump me pediu para colocá-lo sobre meu juramento à Constituição, mas mantive meu juramento e sempre o farei. E estou concorrendo à Presidência em parte porque acho que qualquer pessoa que se coloque acima da Constituição nunca deveria ser presidente dos Estados Unidos. Quero dizer, nossa Constituição é mais importante do que qualquer homem. Nosso país é mais importante do que a carreira de qualquer homem”, disse ele.

Na noite de sábado, Trump afirmou em um post de sua rede social, Truth Social, que “eu nunca pedi a Pence para me colocar acima da Constituição”, chamando o ex-vice-presidente de “delirante”. Ambos são pré-candidatos republicanos à Presidência para a eleição de 2024.

source
Fonte : CNN BRASIL

Leia Também

Deixe seu Comentário