“Como corpos em movimento são capazes de coreografar o possível dentro do impossível?”, é a questão feita pelos curadores responsáveis pela 35ª Bienal de São Paulo, Diane Lima, Grada Kilomba, Hélio Menezes e Manuel Borja-Villel.

Com a temática “coreografias do impossível”, a Bienal começa no dia 6 de setembro e irá até 10 de dezembro no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque Ibirapuera, na capital paulista.

c73cbbba2213682f299c3768c5087843
Retrato dos curadores da 35ª Bienal de São Paulo. Da esq. para a dir.: Hélio Menezes, Grada Kilomba, Diane Lima e Manuel Borja-Villel. / Levi Fanan / Fundação Bienal de São Paulo

Para os curadores, o impossível se refere “às realidades políticas, jurídicas, econômicas e sociais nas quais essas práticas artísticas e sociais estão inseridas, mas, também, no modo como tais práticas encontram alternativas para driblar os efeitos desses mesmos contextos”.

A mostra deste ano contará com 121 participantes e um elenco que busca ecoar as vozes dos povos originários e dos povos em diáspora – aqueles que, de maneira forçada ou não, se deslocaram pelo mundo – e traz práticas artísticas de diferentes partes do planeta.

Segundo os curadores, os participantes desta Bienal desafiam o impossível de variadas formas, “vivem em contextos impossíveis, desenvolvem estratégias de contorno, atravessam limites e escapam das impossibilidades”.

Além dos participantes, o escritório de arquitetura Vão também foi convidado para desenvolver um projeto arquitetônico que permita ao público escolher como explorar o espaço, ou seja, criar sua própria “coreografia”.

Para incentivar os novos fluxos de movimentação, o vão central do Pavilhão Ciccillo Matarazzo, projeto original de Oscar Niemeyer, será fechado pela primeira vez na história da exposição.

35bsp cartaz02 low 1281x1920 2
Identidade visual da 35ª Bienal de São Paulo – coreografias do impossível. / Nontsikelelo Mutiti / Fundação Bienal de São Paulo

Serviço

  • 35ª Bienal de São Paulo – coreografias do impossível
  • Curadoria: Diane Lima, Grada Kilomba, Hélio Menezes e Manuel Borja-Villel
  • De 6 setembro a 10 dezembro de 2023
  • Terças, quartas, sextas e domingos: das 10h às 19h (última entrada: 18h30)
  • Quintas e sábados: das 10h às 21h (última entrada: 20h30)
  • Pavilhão Ciccillo Matarazzo, Parque Ibirapuera · Portão 3 – São Paulo, SP
  • Entrada gratuita

source
Fonte : CNN BRASIL

Ouça a Rádio Piranhas FMRádio Piranhas FM pelo RadiosNet. #OuvirRadio