Membros do Partido dos Trabalhadores (PT) concordaram com a divisão do Ministério do Desenvolvimento Social e a transferência de uma parte da pasta para o Progressistas (PP), de acordo com informações de líderes do Centrão à âncora da CNN Raquel Landim.

Segundo os interlocutores, a direção do PT foi consultada sobre a possibilidade de separar o Bolsa Família do ministério, mantendo os demais programas de ação social sob novo comando.

Os petistas teriam aceitado essa medida em prol da governabilidade, visando auxiliar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a obter maioria na Câmara dos Deputados.

O indicado para assumir a parte transferida é o líder do PP na Câmara, deputado André Fufuca (MA). Atualmente, o Ministério do Desenvolvimento é liderado pelo petista Wellington Dias.

Figuras importantes do PT se pronunciaram publicamente contra a divisão do Ministério do Desenvolvimento Social. A presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, afirmou à analista de política da CNN Thais Arbex que o ministério representa o “coração” do partido.

Em entrevista ao Bastidores CNN nesta quarta, o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), declarou que a pasta não deveria, na sua opinião, ser enfraquecida.

Na Secretaria de Relações Institucionais, sob o comando de Alexandre Padilha, a separação do Desenvolvimento Social ainda é considerada a melhor solução para acomodar o PP.

Veja também: Se virar ministro, Fufuca terá que se afastar do PP, diz Ciro Nogueira à CNN

data-youtube-width=”500px” data-youtube-height=”281px” data-youtube-ui=”politica” data-youtube-play=”” data-youtube-mute=”0″ data-youtube-id=”epxM8Y6Quoo”

*Publicado por Douglas Porto

source
Fonte : CNN BRASIL