Siga nosso Instagram @saobentoemfoco

Os ministros Rui Costa (Casa Civil) e Fernando Haddad (Fazenda), que se detestam e até bateram boca aos gritos, arranjaram outra disputa: o protagonismo na regulamentação da reforma tributária. Haddad tem pressa e pede a proposta andando ainda na primeira quinzena de abril. Já Costa, conhecido pela rispidez no trato, prefere levar no banho-maria, até para desgastar o desafeto. O descompasso fez o Congresso reagir à inércia do governo Lula e propor a desoneração da cesta básica.

Haddad resolveu dar de ombros a Costa e destacou Bernard Appy para o corpo a corpo com parlamentares. Deve ir ao Congresso dia 17 de abril.

Presidente da Frente do Empreendedorismo, Joaquim Passarinho (PL-PA), diz que o grupo ficou isolado nos 19 grupos de trabalho da reforma.

“Nós não estamos preocupados com os ruídos do governo”, disse o deputado à coluna, rechaçando qualquer aumento na carga tributária.

Relator do Orçamento, Danilo Forte (União-CE) também cobra agilidade do governo. Garante que ainda nem conhece o texto do projeto.


Em 2023, o governo Lula bateu todos os recordes de gastos, em todos os tipos de cartão: R$430,6 milhões no total.

Farra com cartões corporativos volta a disparar com governo Lula

Como a ordem do Palácio do Planalto é torrar sem piedade o dinheiro dos impostos, os gastos com cartões corporativos no governo Lula (PT), que já bateram recorde em 2023, dispararam no início deste ano. Já foram mais de R$170 milhões incluindo despesas com os cartões da defesa civil, utilizados supostamente para bancar ações relacionadas à infraestrutura, e os cartões de pagamento que ganharam fama nos primeiros governos do PT por custearem tapioca, motel etc.

Em 2023, o governo Lula bateu todos os recordes de gastos, em todos os tipos de cartão: R$430,6 milhões no total.

Só os gastos com cartões de pagamentos, que tomam conta de qualquer despesa, foram mais de R$90,7 milhões só no ano passado.

Exatos 1.931 cartões corporativos foram emitidos em nome de funcionários do governo. Gasto médio de R$88 mil só em 2024.

Poder sem Pudor

Intimidade provada

Um bispo vivia falando mal do interventor no Rio Grande do Sul, Flores da Cunha. Acusava-o de ser boêmio e elitista esnobe, que não dava intimidades nem mesmo aos seus próprios aliados. Quando soube disso, o general resolveu calar o bispo de uma forma curiosa: chamou-o para uma conversa às 6h da manhã, recebendo-o nos seus aposentos, ainda na cama. Vestia apenas cuecas: “Vossa Reverendíssima desculpe, mas como é de minha total intimidade, posso recebê-lo a qualquer hora, em qualquer lugar e de qualquer jeito.”

Pérola do atrasadíssimo ministro Luiz Marinho (Trabalho), aquele que queira substituir a Uber pelos Correios, sobre o Banco Central do Brasil, premiado como o melhor do mundo: “Está faltando estudar um pouco”.

O crescimento na rejeição ao Lula 3 se repetiu em Salvador, 5º colégio eleitoral, nos últimos 12 meses. Mas apesar de a desaprovação (33,1%) ter crescido seis pontos, 63,2% dos soteropolitanos aprovam o governo.

O PL acabou de aumentar a bancada no Senado, com a filiação de Izalci (DF), ainda faz “captação” de novos quadros. “Virá brevemente um governador peso pesado para o nosso partido”, adiantou Jair Bolsonaro.

Números do IBGE mostram que a economia não vai tão bem como afirmam governistas. A taxa de desemprego subiu 4,1% no trimestre até fevereiro. São 8,5 milhões de pessoas buscando trabalho.

Frase do dia

“Estão forçando uma narrativa”

Esperidião Amin (PP-SC) sobre as tentativas de constranger o embaixador húngaro

Empreiteiras que voltaram à cena do crime contratam “especialistas” para difundir a tese cara-de-pau de que a culpa é do xerife e não do assaltante da diligência: dizem que a Lava Jato “acabou de uma canetada” empresas que subornaram a autoridades dos governos do PT.

Para contornar ordem de não se aliar a partidos “fora da esquerda”, como o União Brasil, o Psol determinou que a regra é o pretendido partido aliado ser “anti-Bolsonaro”… em cada município.

A Starlink, rede de internet do bilionário Elon Musk, começou a operar na Argentina. É o sétimo país da América do Sul a contar com o serviço e o 72º do mundo. Por aqui, a empresa já opera desde 2022.

O neopetista Rubens Pereira Jr. (MA), ex-PCdoB, defendeu a prisão de Chiquinho Brazão (RJ), aliado do seu partido, acusado de mandar matar Marielle. Alega suposto “flagrante” e “todo direito” do STF de prender.

…se está ruim para partidos políticos, imagina para a população…


source
Fonte

Diario do Poder