Senador de Vermont, nos Estados Unidos, Peter Welch tornou-se nesta quarta-feira (10) o primeiro senador democrata a pedir ao presidente Joe Biden que se afastasse como candidato presidencial do partido.

“As apostas não poderiam ser maiores. Não podemos ignorar o desempenho desastroso do debate do presidente Biden. Não podemos ignorar ou descartar as questões válidas levantadas desde aquela noite”, disse Welch em um artigo de opinião do Washington Post que destacou o seu “grande respeito” pelo presidente.

“Eu entendo por que o presidente Biden quer concorrer. Ele nos salvou de Donald Trump uma vez e quer fazer isso de novo”, continuou Welch.

“Mas ele precisa reavaliar se é o melhor candidato para isso. Na minha opinião, ele não é. Para o bem do país, apelo ao presidente Biden para que se retire da corrida”, o senador concluiu.

Welch chamou a vice-presidente Kamala Harris de “uma líder capaz e comprovada” e disse que o partido tem “outros governadores e senadores democratas elegíveis, jovens e energéticos em estados indecisos”.

O senador democrata é de um estado de maioria democrata, e destacou no artigo: “Vermont ama Joe Biden”.

“O presidente Biden e o vice-presidente Harris receberam uma porcentagem de votos maior aqui do que em qualquer outro estado. Mas os habitantes regulares de Vermont estão preocupados com a possibilidade dele não poder vencer desta vez e estão com medo de outra presidência de Trump”, Welch acrescentou.

Os comentários do democrata de Vermont fazem dele o décimo congressista democrata a pedir a renúncia de Biden, sendo os demais até agora seus ex-colegas na Câmara.

Democratas contestam a candidatura de Biden

O senador de Colorado, Michael Bennet tornou-se na terça-feira (9) o primeiro senador democrata a dizer publicamente que não acredita que Biden seja capaz de ser reeleito, mas não chegou a pedir a retirada da candidatura do atual presidente.

“Acho que Donald Trump está no caminho certo para vencer esta eleição, e talvez vencê-la por uma vitória esmagadora, e levar consigo o Senado e a Câmara”, disse Bennet a Kaitlan Collins da CNN.

Outros senadores – Jon Tester, de Montana, e Sherrod Brown, de Ohio, que são os dois titulares mais vulneráveis ​​que enfrentam a reeleição – levantaram preocupações semelhantes sobre a capacidade de Biden de vencer em um almoço democrata no Senado na terça-feira (9), informou a CNN anteriormente.

Outros senadores demonstram apoio a Biden

O senador da Pensilvânia Bob Casey, um dos membros mais vulneráveis ​​dos democratas no Senado, pontuou anteriormente que apoia que Biden permaneça como indicado.

Ele não concordou com a avaliação do senador do Colorado Michael Bennet, que disse à CNN na terça-feira (9) que achava que Biden poderia perder de “uma vitória esmagadora” para Donald Trump.

E o senador da Califórnia Alex Padilla também destacou que discordava dos colegas que achavam que Biden perderia e custaria a maioria do partido Democrata no Congresso.

“Eu ainda acho que há um caminho a seguir não apenas para o presidente ganhar a reeleição, mas para os democratas manterem a maioria no Senado e recuperarem a maioria na Câmara”, ponderou Padilla.

Ron Wyden, senador do Oregon defendeu Biden, comentando: “Vou dizer o que estou dizendo aos meus eleitores em casa, foi uma noite de debate muito difícil. Mas se vocês elegerem Donald Trump, serão quatro anos de noites terrivelmente difíceis”.

Já a senadora Maggie Hassan, de New Hampshire, ressaltou: “Ele tem sido um excelente presidente, trabalhando para reduzir custos, [mas] ainda há mais trabalho a ser feito. Trabalhando para preservar a cidadania e a igualdade das mulheres em nosso país”.

“Ele fez um ótimo discurso na Otan ontem. Donald Trump teve uma Presidência realmente horrível e é uma ameaça real à nossa democracia. Ele se gabou de tirar o direito mais fundamental de uma mulher, ele nos tornará menos seguros e dividirá ainda mais nossa política”, analisou a congressita.

source
Fonte : CNN BRASIL

Ouça a Rádio Piranhas FMRádio Piranhas FM pelo RadiosNet. #OuvirRadio