Fluminense aproveita erros do Palmeiras e vence no Maracanã

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

O Palmeiras pagou por sua escolha no Maracanã. Visando o jogo de volta pelas oitavas de final da Libertadores, contra o Atlético-MG, quarta-feira, Abel Ferreira colocou em campo um time misto, com o ataque todo reserva, e sofreu com os erros no setor ofensivo. Desta forma, o Fluminense foi mais letal, aproveitou as chances claras que teve, marcou com Arias e John Kennedy e nem mesmo o gol de Gustavo Gómez no lance final evitou a derrota por 2 a 1.

Com o resultado, o Palmeiras vê sua série de três vitórias seguidas ser encerrada, continua com 31 pontos, mas cai para o quarto lugar na competição nacional. Já o Fluminense sobe para os mesmos 31 e assume a terceira posição na tabela pelos critérios de desempate.

Com as duas equipes tendo partidas pela Libertadores no meio da próxima semana, Fluminense e Palmeiras entraram em campo com equipes mistas. Após alguns minutos de lentidão e erro de passes dos dois lados, o time carioca passou a ter mais a bola e abriu o placar.

Aos 12 minutos, Arias achou bom passe para John Kennedy dentro da área, o atacante girou em cima de Luan e foi derrubado. Na cobrança da penalidade, Arias deslocou o goleiro Weverton e abriu o marcador no Maracanã. Atrás do placar, o time paulista cresceu e passou a controlar o ritmo marcando alto no campo de ataque e com uma boa troca de passes no ataque apostando na inversão de lado das jogadas.

Jogando desta forma, o Palmeiras deixou o adversário “preso” no campo de defesa e passou a rondar a área do goleiro Fábio. Apesar disso, o arqueiro da equipe do Rio trabalhou de forma efetiva apenas duas vezes no primeiro tempo.

No retorno para a segunda etapa, o time de Abel Ferreira não mudou a postura em campo. Marcando alto, para atrapalhar a saída de bola carioca, a equipe alviverde passou a “alugar” o campo de ataque e pressionou nos primeiros minutos. Tendo espaço para o contra-ataque, os comandados de Diniz continuaram assustando Weverton.

Em uma dessas escapadas, o Fluminense marcou o segundo. Arias roubou a bola de Jailson, arrancou sozinho e deu bom passe para Cano na direita. O argentino cruzou para John Kennedy e o atacante rolou para Arias. O colombiano finalizou, Weverton fez um milagre e na sobra Kennedy empurrou para o gol para fazer 2 a 0.

Com a vantagem dobrada no placar, o Fluminense passou a jogar esperando no campo de defesa. Apesar de ter a bola, assim como aconteceu no fim do primeiro tempo, o Palmeiras continuava com muita dificuldade de chegar ao gol de Fábio.

Os lances de mais perigo da equipe de Abel Ferreira foram nos minutos finais do jogo, quando o time visitante pressionou na base dos cruzamentos. No primeiro, aos 40, Fábio fez uma boa defesa após bate e rebate na área, mas a jogada foi anulada por impedimento de Rony. Já aos 43, o goleiro do Fluminense voltou a trabalhar para parar a finalização de Vanderlan. Já nos acréscimos, Flaco López completou de cabeça e Fábio operou um milagre para manter o 2 a 0.

No último lance, o Palmeiras marcou. Após cruzamento de Artur, Gustavo Gómez, que já era atacante do time, desviou de cabeça e fechou o placar em 2 a 1 no estádio do Maracanã.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 2 x 1 PALMEIRAS

FLUMINENSE – Fábio; Samuel Xavier (Guga), David Braz, Marlon (Felipe Melo) e Marcelo; Martinelli, Daniel, Arias e Leo Fernández (Lima); Cano e John Kennedy (Lelê). Técnico: Fernando Diniz.

PALMEIRAS – Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Luan, Gustavo Gómez e Vanderlan; Jaílson (Gabriel Menino), Richard Ríos, Luis Guilherme (Artur) e Jhon Jhon; Endrick (Rony) e Breno Lopes (Flaco López). Técnico: Abel Ferreira.

GOLS – Arias, aos 14 minutos do primeiro tempo; John Kennedy, aos 13, e Gustavo Gómez, aos 52 do segundo.

ÁRBITRO – Ramon Abatti Abel (SC).

CARTÕES AMARELOS – Vanderlan e Weverton (Palmeiras); John Kennedy, Lima, Martinelli e Felipe Melo (Fluminense).

CARTÕES VERMELHOS – João Martins (auxiliar técnico do Palmeiras) e Lelê (Fluminense).

RENDA – R$ 1.272.175,00.

PÚBLICO – 31.037 presentes.

LOCAL – Estádio do Maracanã, no Rio.

source
Por Metrópoles

Leia Também

Deixe seu Comentário