Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo publicada neste sábado (5), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), destacou que, pela primeira vez, estados do Sul e do Sudeste atuarão em bloco no Congresso visando evitar perdas econômicas. Os governadores das unidades federativas dessas regiões estão organizados no Consórcio Sul-Sudeste (Cosud), atualmente presidido por Ratinho Júnior (PSD), do Paraná. Zema mencionou a busca pela união da direita e a identificação de um nome com apoio.

“Tudo vai passar por um processo da direita tentar se unir e encontrar um nome que tenha apoio. Mas se for para lançar dois, três nomes (em 2026), aí é para dar de mão beijada a reeleição ao adversário”, disse.

“Temos 256 deputados – metade da Câmara – 70% da economia e 56% da população do País. Não é pouco, nê? Já decidimos que, além do protagonismo econômico que temos nós queremos – que é o que nunca tivemos – que é protagonismo político”, declarou o político mineiro.

“A cada 90 dias, nós nos encontramos para trabalharmos de forma conjunta. A última reunião foi em Belo Horizonte. Tem muita coisa que um estado faz melhor que o outro”, afirmou o governador. Ele acrescentou que, além do protagonismo econômico representando 70% da economia brasileira, almejam um protagonismo político que nunca tiveram.

Zema também apontou a união de outras regiões do Brasil, com estados de menor porte, que conseguem aprovar projetos em Brasília, enquanto o Sul e Sudeste, que representam 56% da população brasileira, acabam perdendo por estarem divididos.

Uma das primeiras ações do grupo foi durante a votação da proposta de reforma tributária na Câmara dos Deputados. O texto original previa um conselho federativo para gerir o novo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) com representação igualitária de cada estado. Zema mencionou que o grupo se opôs a essa proposta, buscando uma representação proporcional à população para evitar que sete estados em 27 tivessem maior poder de decisão.

“Pela primeira vez, um dia antes da reforma tributária ser votada, nós convidamos todos os 256 deputados federais (metade da Câmara dos Deputados) do Sul e do Sudeste. Os do Norte e Nordeste estão muito na nossa frente.”

O Cosud realiza reuniões desde 2019, mas a entidade foi formalizada oficialmente em junho, durante encontro em Belo Horizonte, ganhando personalidade jurídica e um escritório de representação em Brasília.

Esquerda

“Enxergo a esquerda como um adversário que na comunicação, na propaganda dá trabalho, mas no resultado? Pode esquecer porque eles nunca vão conseguir o melhor resultado em termos de crescimento da economia, de desenvolvimento”. Segundo o governador, a esquerda tem um discurso apelativo e o usa em detrimento de entregar melhorias para a sociedade. “Mas é um discurso sedutor, é meio que o canto da sereia: nós somos social, nós somos verdes. Eu bato palmas e aplaudo a esquerda porque eles conseguem fazer uma lavagem mental, mas na prática não tem nada”, disse Zema.


source
Fonte : Gazeta do Brasil