Denis Villeneuve, que está prestes a lançar seu novo filme “Duna: Parte 2”, afirmou, em entrevista ao The Times UK, que o cinema foi “corrompido” pela televisão ao falar sobre seu desejo de fazer um longa sem diálogos.

“Francamente, odeio diálogo. O diálogo é para o teatro e para a televisão. Não me lembro de filmes por causa de uma fala boa, lembro-me de filmes por causa de uma imagem forte. Não estou interessado em diálogo. Imagem e som puros, esse é o poder do cinema, mas é algo que não é óbvio quando se assiste a filmes hoje. Os filmes foram corrompidos pela televisão”, disse.

“Em um mundo perfeito, eu faria um filme atraente que não parecesse um experimento, mas que também não tivesse uma única palavra. As pessoas sairiam do cinema e diziam: ‘Espere, não houve diálogo?’ Mas eles não sentirão a falta”, contou.

Villeneuve é o nome por trás de produções como “A Chegada” e “Blade Runner 2049”. Seu último trabalho, “Duna”, o diretor chamou de uma obra “contemplativa”. A sequência da história chega aos cinemas brasileiros em 29 de fevereiro.

“Duna: Parte 2” recebeu a melhor avaliação de sua carreira. O longa é o segundo capítulo da adaptação de Villeneuve da obra literária homônima.

Nas telonas, a trama é protagonizada por Timothée Chalamet, que vive o jovem Paul Atreides, herdeiro do planeta desértico Arrakis.

Após o território ser atacado por conspiradores no primeiro filme, Paul embarca em uma jornada ao lado de Chani (Zendaya) e os Fremem – população de Arrakis que vive no deserto – para se vingar por sua família e planeta e tentar evitar um futuro que só ele pode prever.

Veja também: imagens de “Duna: Parte 2”

source
Fonte : CNN BRASIL